Ayrton Senna: O Legado de um Heroi



“Ayrton, Ayrton Senna do Brasil...”

Galvão Bueno

Esta era a frase a qual milhares de brasileiros acordavam mais cedo nas manhãs de domingo para ouvi-la.

A Formula 1 no Brasil havia se tornado uma atração tão popular quanto ao futebol e Ayrton Senna o atleta mais querido do país. Como isso aconteceu? O que a história diz a respeito de Ayrton Senna? Qual foi o legado que ele deixou? Junte-se a nós e acompanhe está incrível história.

Quem foi Ayrton Senna?

Ayrton Senna ou Ayrton Senna da Silva nasceu no dia 21 de março de 1960 e foi criado na zona norte de São Paulo, capital.

Desde cedo, seu talento e seu gosto por automobilismo destacava-se, tanto que aos 13 anos participou em sua primeira corrida de kart.

Ayrton da Silva: A fase no Kart

Ayrton Senna, ex-piloto de Formula 1 no kart em 1973 by ayrtonsenna.com.br

Em julho de 1973 Ayrton estreava no kart e logo na corrida de estreia conquistou sua primeira vitória.

De 1974 a 1980 Senna conquistou pelo menos oito campeonatos e oito vice-campeonatos, entre eles locais, nacionais e mundiais.

“Eu nunca havia visto um piloto como este”, afirmou Angelo Parilla, um dos melhores fabricantes internacionais de Kart! Mesmo sendo um piloto muito rápido, Ayrton tinha uma grande defasagem em pilotar em pistas molhadas.

Isso incomodava muito o jovem piloto. Sendo perfeccionista e muito determinado,quando chovia, ele aproveitava todas as oportunidades para treinar com seu kart, tanto em Interlagos, como nas ruas de seu bairro. O treinamento fez dele o piloto mais bem-sucedido em pistas molhadas nos anos seguintes!

Em 1980 ele recebeu seu primeiro convite para pilotar um monoposto sem necessidade de levar patrocinadores consigo. Porém, sua família foi contra a ideia e Ayrton decidiu recusar tal convite e assim permaneceu no kart por mais um ano.

Ayrton da Silva na Formula Ford

Ayrton Senna, ex-piloto de Formula 1 em 1982 by ayrtonsenna.com.br

O desejo de Ayrton de seguir carreira no automobilismo era muito forte e em 1981 conseguiu finalmente progredir para os carros monopostos.

Para tanto, o jovem piloto precisou morar na Inglaterra longe de todos os amigos e parentes. Certamente seria um grande desafio que ele precisava superar.

Sua corrida de estreia foi razoável, terminando em quinto lugar. Em pouco tempo ele se adaptou ao seu novo carro e sua primeira vitória finalmente foi alcançada.

Ayrton conquistou 12 vitórias naquele ano e foi campeão Inglês Categoria 1600, Campeão do Torneio Towsend Thorensen e campeão do Torneio Royal Automobile Clube.

Em 1982 ele progrediu da Formula Ford 1600 para a Formula Ford 2000 fazendo um campeonato devastador, conquistando 21 vitórias e se tornando também campeão desta categoria.

Ayrton da Silva na Formula 3

O sucesso de Ayrton não estacionava e em 1983 foi contratado para pilotar um monoposto de Formula 3, equivalente a atual GP2.

Ayrton da Silva, como era conhecido na época, conquistou 12 vitórias em 20 corridas, consagrando-se também campeão da Formula 3.

O talento do jovem piloto impressionava tanto que chamou a atenção da mídia local e algumas corridas até mesmo foram televisionadas. O circuito de Silverstone passou a ser apelidado de Silvastone, em menção ao seu sobrenome.

Este talento muito além da média e o seu sucesso chamou a atenção da Formula 1 e Frank Williams, dono da Williams, o convidou para fazer alguns testes com aquele piloto em ascensão.

O Surgimento de Ayrton Senna

Frank Williams não acreditava no que via. Nas primeiras voltas em que testou, Ayrton se adaptou perfeitamente ao carro como já tivesse pilotado um Formula 1 muitas vezes.

Contudo, a dupla de pilotos da equipe para 1984 já tinha sido definida. Além disso, entrar numa equipe de ponta logo de início poderia colocar tudo a perder. Assim ele viu numa modesta equipe, Tolemman, uma boa oportunidade para entrar na categoria.

Em 1984, Ayrton passou a ser conhecido como Senna, ou Ayrton Senna. Sua estreia foi no GP do Brasil, mas por problemas no carro, ele não completar a corrida.

Na edição seguinte, no GP da África do Sul, Ayrton conquistou seu primeiro ponto ao chegar em sexto. Posição que se repetiu no GP seguinte, na Bélgica.

Algumas vezes Senna terminava as corridas tão esgotado fisicamente que nem mesmo conseguia levantar do carro sozinho após as corridas. Certa vez foi necessário ir ao hospital para poder se recuperar!

O Grande Prêmio de Mônaco daquele ano foi marcado por uma de suas maiores façanhas. Debaixo de muita chuva, Senna havia largado em décimo terceiro. A medida que alguns abandonava, Senna progredia e sem receio, ultrapassava pilotos renomados, tais como Niki Lauda, Rene Arnoux e Keke Rosberg. Faltava apenas um: Alain Prost. Superando este, Senna lideraria a corrida e teria grandes chances de vencer. Mas antes que isso acontecesse, o diretor de prova encerrou a corrida, terminando assim em segundo.

Após esta grande façanha, Senna conseguiu alcançar mais duas vezes o pódio, ambas em terceiro lugar, no GP da Inglaterra e no GP de Portugal, fechando o campeonato com 13 pontos na 9ª colocação. A título de comparação, seu parceiro de equipe, Stefan Johansson, marcou apenas 3 pontos e fechou o campeonato em décimo sétimo!

Mesmo abandonando maior parte dos Grande Prêmios durante as corridas de 1984 por problemas no carro ou por erros dele, o mundo via o surgimento de um dos pilotos mais rápidos e talentosos da história da Formula 1.

A Primeira Vitória de Ayrton Senna

Ayrton Senna, ex-piloto de Formula 1 em 1985 by ayrtonsenna.com.br

Com este desempenho além do esperado, Senna conseguiu em 1985 uma vaga na Lotus-Renault. “Se ele conseguia fazer tudo aquilo com uma Tolemman, imagine com a Lotus” afirmavam alguns.

Senna tinha em mãos um novo equipamento. Um novo carro, muito mais potente que o anterior. Mas nem tudo era festa. “O nosso motor é o mais beberrão... O que posso prometer é muita luta pelo pódio”, disse ele.

Mesmo talvez desapontado, por ter abandonado a corrida de estreia por problemas elétricos no carro, ele não deixou se abater e no GP seguinte em Estoril, Portugal, Senna marcou sua primeira pole position .

A corrida iniciaria e terminaria debaixo de muita chuva em condições “dez vezes pior do que o ano passado [em Mônaco]” reconheceu ele mais tarde.

Mesmo assim, Ayrton havia deixado todos os pilotos para trás e, com absoluta autoridade, venceu a corrida de ponta a ponta.

Nas edições seguintes, mesmo sendo muito rápido no Classificatório, boa parte das corridas, ele abandonava por problemas no carro. Ao passar do tempo logo as coisas foram melhorando e Senna conquistou 6 pódios seguidos sendo um deles sua segunda vitória no GP da Bélgica.

Senna fechou o campeonato com 38 pontos na quarta posição. Seu parceiro, Elio de Angelis, terminou em quinto, com 33 pontos.

De suas primeiras vitórias para seu primeiro campeonato mundial

Ayrton Senna, ex-piloto de Formula 1 em 1988 by ayrtonsenna.com.br

Mesmo tendo um carro limitado, a medida que o tempo passava, Senna dava mais trabalho para pilotos tais como Alain Prost, Nelson Piquet, Keke Rosberg e Nigel Mansell.

Mas com aquela Lotus, era impossível Senna lutar diretamente pelo título mundial. Algo que ele almejava.

Para piorar, em 1987, a Lotus trocou os motores Renault pelos motores Honda. Senna fez um campeonato regular, alcançando seu melhor resultado na Formula 1, Venceu duas corridas, mas o carro não o possibilitava disputar o título mundial.

Usando a influência que tinha com a montadora e aproveitando a reestruturação interna do time, ele conseguiu um lugar na McLaren para a temporada de 1988.

Mesmo tendo um excelente equipamento, Senna teria um novo desafio: Seu colega de equipe. Desta vez, um dos melhores e mais astutos pilotos da época: O francês Alain Prost.

Senna superou o desafio e simplesmente das 16 corridas da temporada, 15 largou na primeira fila, sendo 13 na pole position. A primeira vitória com a McLaren, veio no GP de Imola.

A disputa do título daquela temporada ficou entre Senna e seu colega, Alain Prost. No Grande Prêmio do Japão, Senna precisava vencer para garantir seu título. Largou na frente, mas um problema no carro lhe fez cair para as últimas posições.

Parecia tudo perdido, mas ele fez uma corrida épica ultrapassando um a um e com ajuda da chuva, Senna alcançou e ultrapassou seu companheiro de equipe conquistando de modo heroico seu primeiro título de campeão.

O Tricampeonato de Ayrton Senna

Em 1989, a relação entre Senna e Prost ia se deteriorando. Senna com seu ímpeto de vitórias. Prost, também muito competitivo, via em seu colega um perigo em potencial.

Havia um acordo entre eles de não ultrapassagem que Senna deliberadamente desrespeitou após uma relargada no GP de Imola e a relação entre os dois “azedou de vez”. Desde então surgiu a maior rivalidade entre dois pilotos da história da Formula 1.

Ao final da temporada, novamente ambos estavam disputando o título. No GP do Japão, Senna precisaria vencer de qualquer jeito e torcer por um tropeço de Prost. Numa disputa entre posições, na 46ª volta, Prost o tirou da pista. Prost abandonou a corrida. Parecia tudo acabado, mas Senna conseguiu voltar, entrou aos boxes, fez os reparos necessários e espantosamente se recuperou. Ao final da corrida, ultrapassou Alexandro Nannini, piloto da Benetton, e mais uma vez Senna conquistaria uma vitória épica. Mas uma decisão polêmica da direção de prova o desclassificou e o título ficou com Prost. Senna ficou irado e chegou a pensar em abandonar a carreira.

Prost não aguentava mais a situação na McLaren e viu na Ferrari uma nova oportunidade.

Em 1990, em equipes diferente, Senna e Prost novamente disputavam o título mundial da temporada.

No penúltimo GP, em Suzuka, Japão, Ayrton precisava simplesmente ficar a frente de Prost. Senna largaria na pole e Prost em segundo.

Contudo, no dia da corrida, os diretores de prova decidiram inverter as posições do grid. Isso faria com que, Senna largasse no lado ruim da pista. É como estivesse largando em 2º.

Ayrton tinha certeza que a razão para isso seria para lhe prejudicar e beneficiar Prost. Na largada ele decidiu se vingar e acabar com a corrida de Prost.

Por largar no melhor lado da pista, Prost assumiu a liderança, mas ao chegarem na primeira curva, Senna provocou um acidente, tirando ambos da corrida. A atitude do Senna foi extremamente perigosa. Mas para sua alegria, ninguém saiu machucado e ele saiu daquela corrida como bicampeão.

Ayrton Senna, ex-piloto de Formula 1 em 1991 by formula1-dictionary.net

Em 1991 Senna não tinha mais o melhor carro. A Ferrari de Alain Prost passava por dificuldades e não dava condições mais para ele disputar contra Senna. Assim seu novo rival era Nigel Mansell que tinha um carro tecnologicamente mais evoluído que todos os outros do grid.

No GP do Japão daquele ano, bastava Senna ficar a frente de Mansell. A tática da equipe para aquela corrida era deixar Berger disparar na frente, enquanto Senna ficava segurando Mansell para forçá-lo ao erro. A estratégia deu certo, Mansell escapou sozinho e Senna se tornara tricampeão mundial de Formula 1.

A Difícil Temporada de 1992

Em 1992, Senna estava numa equipe decadente. A McLaren estava longe de ter carros competitivos. O que ele conseguia era por puro talento e por infelicidade de seus concorrentes. Esta temporada foi uma das mais difíceis, vencendo apenas uma corrida.

Com o futuro incerto ele cogitava em se juntar com Emerson Fittipaldi na Formula Indy. Havia duas alternativas para ele na Formula 1: A Williams ou permanecer em seu carro decadente na McLaren.

1993: A Última Temporada Completa de Ayrton Senna

Embora ele tenha achado interessante a Formula Indy, Senna ainda estava de olho na Williams que tinha os melhores carros da época.

Nigel Mansell mesmo sendo campeão em 1992, foi dispensado da equipe e decidiu se aventurar na Formula Indy. Riccardo Patrese havia fechado contrato com a Benetton e assim a equipe tinha duas vagas abertas. Frank Williams planejava montar um “dreamtime”: O melhor carro com a melhor dupla de pilotos – Alain Prost e Ayrton Senna.

Prost aceitaria o convite de Frank com uma condição: Sem Senna por perto. Frank Williams aceitou a proposta e escolheu Damon Hill para fechar a dupla de pilotos.

Assim, o piloto brasileiro assinou por mais um ano contrato para correr pela McLaren e aguardar uma nova oportunidade.

A Última Vitória

Ayrton Senna, ex-piloto de Formula 1 em 1993 by news.com.au

Mesmo com o carro pouco competitivo Senna conquistou cinco vitórias naquele ano, sendo duas delas, no GP do Brasil e no GP da Europa em Donnington Park, memoráveis.

Em Donnigton Park, Senna largava em quarto, mas a corrida iniciou-se com pista molhada. Senna se arriscou com uma estratégia diferente por usar pneus de seco e ultrapassou Schumacher, Wendlinger, Hill e Prost em menos de uma volta.

No último GP da temporada, Senna vencia na Austrália pela última vez, com Prost, tetracampeão, em segundo. Este GP ficou marcado pelo abraço que deram na festa do pódio.

O "S do Senna" e o GP do Brasil

Quando Ayrton entrou na Formula 1, a sede no GP do Brasil era no Rio de Janeiro no circuito de Jacarepaguá. De 1984 a 1989. Durante estes anos ele apenas pontuou em 1987, fazendo dobradinha no pódio com Piquet.

Mas a partir dos anos 90, a sede foi passada para São Paulo, no remodelado circuito de Interlagos.

Visto que nem todos eram a favor da remodelagem, Bernie Ecclestone convidou Senna para ajudar no projeto do novo desenho. Assim surgiu a famosa curva “S do Senna”.

Tendo alguma vantagem com isso ou não, na corrida de estreia, Senna largou na pole positionmas terminou em 3º.

Em 1991 finalmente conquistou sua primeira vitória no GP do Brasil. Senna conseguiu obter uma boa vantagem em relação ao segundo colocado, quando o sistema de marchas entrou em colapso faltando 6 voltas para o fim. Senna podia contar com apenas 3 marchas (1ª, 2ª e 6ª). Mais uma vez de modo heroico Senna venceu a corrida.

O esforço foi tão grande que ao final da corrida não conseguia nem mesmo sair do carro sozinho. “Só voltei à realidade quando vi a bandeirada... Não foi a maior vitória da minha vida, mas foi a mais sacrificada” disse ele mais tarde.

Em 1992 com o carro inferior, fez o que pode largando em terceiro. Mas logo foi superado por Schumacher e mais tarde abandonou a corrida por problemas no motor.

Em 1993 a corrida seria dominada pelos dois carros da Williams, mas uma chuva torrencial tirou Prost do jogo. Depois que a pista se secava, Senna fez uma ultrapassagem inesperada por Hill e venceu a corrida. A euforia foi tão grande que, após a corrida, a pista foi invadida pelos torcedores.

Ayrton Senna em quadrinhos

Ayrton Senna, ex-piloto de Formula 1 em mangá by infoanimation.com.br

Os japoneses tinham um carinho muito especial por Senna, muito mais que qualquer piloto da casa. No início dos anos 90, a McLaren foi patrocinada pela editora japonesa Shueisha. Ela se tornou conhecida por publicar mangás (quadrinhos japoneses) tais como Dragon Ball, Naruto entre outros.

Durante esta época a editora criou três mangás baseados em Ayrton Senna. Uma delas foi conhecida como “GP Boy” e outros dois mangás nos quais Senna era o protagonizador, chamava-se "F No Senkou: Ayrton Senna no Chousen" (O Relâmpago do F: O Desafio de Ayrton Senna). As histórias de "F. no Senkou" apresentava principalmente a rivalidade entre Senna e Alain Prost.

Akira Toryama, escritor de Dragon Ball, também fez algumas ilustrações em homenagem ao Ayrton.

Goku ou Senna, quem é o mais rápido do universo?

Akira Toryama, Ayrton Senna, ex-piloto de Formula 1 e Goku (Dragon Ball Z) - by .flatout.com.br

No Brasil, em 1994, Senna ganhou uma nova versão em quadrinhos conhecido como Seninha, criado originalmente por Rogério Martins e Ridaut Dias Júnior. Seninha não era Ayrton Senna, mas um talentoso piloto garoto que tinha como inspiração seu ídolo.

Ayrton Senna no video game

No início dos anos 90, a empresa Sega, uniu-se a Ayrton Senna e em 1992 lançou um dos jogos mais vendidos na época conhecido como Ayrton Senna Super Mônaco GP 2. Este foi lançado para Mega Drive e mais tarde para Master System e Game Gear.

Na versão Mega Drive, o jogador pode escolher se quer ser o próprio Ayrton Senna (Benninger [modo fácil]) ou se quer iniciar a carreira numa equipe modesta (Master [difícil]). Neste modo, Senna é seu rival e seu objetivo é superá-lo. Quem conseguir, recebe um abraço do piloto no final. O jogo não é oficial mas é baseado na temporada de 1991.

Contudo, o nome de Ayrton Senna não foi liberado para ser usado em outros jogos oficiais de Formula 1 da época, com exceção dos jogos de versão japonesa.

Recentemente o nome do Senna foi usado na nova versão de Gran Turismo para Playstation 3. Por esta razão a Codemasters não pôde incluir ele no famoso F1 2013 Classic Edition.

A preocupação de Senna com a segurança

Senna foi um dos pilotos que mais se preocuparam com a segurança da categoria. Quando Martin Donelly sofreu um gravíssimo acidente no GP da Espanha de 1990, Ayrton tentou aprender muito sobre o que os médicos fazem em casos assim.

Em 1992 Senna colocou em prática o que aprendeu quando Erik Comas sofreu um gravíssimo acidente durante o Classificatório do GP da Bélgica.

Senna presenciou a batida, parou o carro imediatamente saiu correndo em direção ao acidentado, colocando sua própria vida em perigo, para lhe ajudar a sair do carro. “Sem a ajuda de Senna, eu teria morrido porque minha Ligier explodiria. Ayrton parou para me ajudar, quando meu próprio companheiro de equipe já havia passado reto. Ele tinha um coração sensacional”, afirmou Comas.

Nos anos seguintes ele fez com que a Associação de Pilotos ressurgisse com o objetivo de discutir ideias para aumentar a segurança deles durante os eventos.

O lado pouco conhecido de Senna

Mesmo sendo um piloto muito acima da média, ele não usava apenas sua capacidade de pilotagem ao seu favor.

Logo no início de sua carreira na Formula 1, quando notava que seu colega de equipe poderia lhe ser de alguma maneira uma ameaça, usava sua influência na equipe e patrocinadores para fazer as coisas do seu jeito.

Em 1986 a Lotus havia escolhido seu segundo piloto, Derek Warwick. Segundo Derek, Senna não o queria na equipe. Em uma entrevista especial para o programa Esporte Espetacular da RB, ele declarou: “Foi um momento muito difícil para mim. Estava tudo certo... mas Ayrton tinha um patrocínio forte e fez de tudo para se livrar de mim e foi isso o que aconteceu, eles rasgaram o contrato na minha frente”.

Em 1987 Senna tinha um contrato onde a equipe era obrigada a lhe oferecer o melhor equipamento e ter absoluta prioridade como “piloto 1”. Na época seu colega era Satouro Nakagima.

O Racha contra Galvão

Em 1987 após um jantar, durante o final de semana do GP do México, Senna e Galvão colocou a vida de outras pessoas em perigo quando resolveram brincar com seus carros alugados nas ruas na Cidade do México, por disputar um racha.

O jornalista Maurício Prado estava presente e revelou o acontecido no livro “Ayrton Senna: O Herói Revelado”, dizendo que “[estávamos] parados no sinal... Engatando a ré, Galvão jogou o nosso automóvel contra o de Senna. Um acelerava para frente, outro para trás... [Com] olhos esbugalhados, os motoristas, à nossa volta, não entendiam patavinas. Quando a luz verde do sinal enfim surgiu, arrancamos voando, perseguidos pelo Ayrton... Ora era o Galvão que jogava nosso carro contra o de Ayrton - e toma de pancada nas laterais, na traseira e até nas portas um do outro...”
Ao entregar os carros no dia seguinte, Senna teria dito que as batidas e arranhões foram por culpa do transito da cidade.

1994 O fim de uma era

Ayrton Senna, ex-piloto de Formula 1 em 1994 by ayrtonsenna.com.br

Com a saída de Prost na Williams, Senna finalmente foi contratado para representar a equipe em 1994. O melhor piloto estaria na melhor equipe. Mas o sonho logo se tornou um pesadelo sem precedentes para Senna.

A categoria passava por mudanças drásticas. Tudo o que fazia a Williams o melhor carro, foi banido. Os engenheiros decidiram usar o mesmo carro de 1993 com as adaptações do regulamento de 1994. O resultado foi um carro rápido, porém, extremamente instável.

Ayrton teria muito trabalho pela frente. Mesmo assim, nos três primeiros Grande Prêmios ele conseguira mais três poles positions, mas nenhuma das corridas ele conseguira terminar.

No GP do Brasil, após ser superado por Michael Schumacher, seu carro começou apresentar problemas. Ao tentar se recuperar perdeu a tração, o carro escorregou direto para a brita e ali ficou.

No GP de Aida, logo na primeira curva Senna se envolveu em um acidente. “Como o Schumacher largou melhor do que eu, tirei o pé para evitar um acidente na curva. Mas aí o Mika Hakkinen (McLaren), atabalhoadamente, me bateu por trás e me tirou da corrida. Eu já estava fora do traçado quando o Nicola Larini (Ferrari) entrou na lateral do Williams, fechando a minha participação”, disse ele.

No final de semana do GP de Imola, Senna estava carregando uma pressão que talvez ele nunca tivesse conhecido. Seu carro que deveria ser o melhor, maspassava por vários problemas técnicos. A Formula 1 se aproximava da 3ª edição do ano. Seu principal rival, Michael Schumacher, havia vencido duas, Senna não havia marcado um ponto sequer. Além disso, outros problemas pessoais perturbava ainda mais o piloto.

Ao estudar o desempenho de Schumacher nas corridas, Ayrton passou também a desconfiar que o carro do piloto alemão violava as regras.

Parecia que pela primeira vez em toda sua carreira, tudo estava desfavorável. Tudo isso lhe deixou visivelmente abatido. A vitória poderia lhe dar algum alívio. Porém o que estava ruim, piorou ainda mais.

Na sexta-feira, o acidente de Barrichello e, depois no Sábado, a morte de Roland Ratzenberger deixou Senna aflito. Como líder da Associação de Pilotos, ele tentou discutir a possibilidade de boicotar a corrida ou pelo menos fazer com que fosse menos perigosa.

No grid Senna estava profundamente abatido. Ele largaria na pole position, como já mencionado. Ayrton talvez quisesse superar mais este grande desafio. Talvez tudo aquilo não valesse mais a pena mas ele sentia que teria que vencer a corrida mais crítica de sua carreira.

Mas na sétima volta, ainda líder da corrida, ao passar pela curva Tamburello, o volante não respondeu ao seu comando e assim o carro passou reto e bateu violentamente contra o muro. Com o impacto a barra da suspensão perfurou seu capacete e ali, Ayrton Senna da Silva, com 36 anos de idade, expirou.

A morte de Senna foi sentida em todo o mundo. O presidente do Brasil da época, decretou luto nacional. Senna recebeu honras de estado. A maioria dos canais de televisão cobriram o cortejo fúnebre. As ruas de São Paulo, foram tomadas por milhares de pessoas que queria vê-lo pela última vez.

Senna foi enterrado no cemitério do Morumbi no dia 6 de maio, encerrando uma era para o automobilismo nacional e mundial.

O legado de um herói

Ayrton Senna, ex-piloto de Formula 1 em 1993 by ayrtonsenna.com.br

Enquanto houver Formula 1, a marca que Senna deixou nunca será apagada. Após 20 anos, as pessoas no mundo do automobilismo ainda lembram com tristeza aquele acidente.

Todavia, muitos outros, usam o exemplo e a memória de Senna para difamar outros e causar debates intermináveis e muita vezes desnecessários. Outros acreditam que tem os mesmos dons de Senna e fazem loucuras com seus carros até mesmo causando acidentes nas ruas e rodovias.

Para Rubens Barrichello e Bruno Senna, a morte de Senna prejudicou drasticamente suas carreiras. Alguns queriam que estes fossem o novo Ayrton Senna.

Em contrapartida, Senna elevou o nível de competição da categoria. A preparação física e mental que Senna iniciara, hoje faz parte obrigatória da rotina de todos os pilotos modernos de praticamente todas as categorias do automobilismo.

Pilotos tais como Michael Schumacher, Fernando Alonso e Lewis Hamilton usam seu exemplo para serem iguais ou até mesmo superá-lo.

Muitos que acompanharam a Formula 1 naquela época usam a garra e a determinação de Senna como fonte de inspiração para suas vidas e o considera como um herói e se orgulham de fazerem parte do mesmo país.

Desde a morte do Senna, a Formula 1 entrou numa cruzilhada visando a segurança de modo sem precedentes. Desde então nunca mais houve morte de pilotos durante as corridas.

O Instituto Ayrton Senna, administrado por Viviane Senna, irmã de Ayrton, visa melhorar a qualidade da educação de milhares de crianças.

Assim, Senna foi de longe o melhor piloto de sua geração. Ele é muito querido não só no Brasil, mas também na Europa e no Japão. Tinha muitas qualidades e realizava coisas admiráveis dentro e fora das pistas. Mas sua obsessão por vitórias lhe tornava também uma pessoa arrogante e gananciosa, algumas vezes agressivo com as pessoas e estava disposto a fazer qualquer coisa para alcançar seus objetivos até mesmo usando a deslealdade se necessário.

Ayrton Senna foi o melhor no que se propôs a fazer.

Seu talento é indiscutível. Contudo, ele foi um ser humano como qualquer outro, tendo suas qualidades e seus defeitos. Morreu fazendo o que gostava mesmo sabendo de todos os riscos.

Portanto, este foi Ayrton Senna e este foi seu legado.

Mais sobre Ayrton Senna

O site oficial de Ayrton Senna traz informações detalhadas sobre vida e toda a sua trajetória no automobilismo, bem como fotos, frases famosas ditas por ele e muito mais.

O site oficial do Instituto Ayrton Senna visa informar ao público todo o trabalho feito por eles durante os últimos vinte anos.

Estatísticas da carreira de Ayrton Senna

Grandes Prêmios 161 Pontos na Carreira614
Poles 65 Anos de F1 10
Pódios 80 Entrada na F11984 (Gp Brasil)
Vitórias 41 Pior momento da carreiraImola 1994
Titulos 3 Pilotos FavoritosÉmerson Fittipaldi, Gilles Vilenueve, Juan Manuel Fangio e Niki Lauda