Danilo Santos As Crônicas de um Piloto

Crônicas de Danilo Formula 1

As Crônicas de um Piloto

Capítulo 9 — A Cidade Abandonada

DANILO estava muito exausto, afinal fazia dias que estava treinando numa longa maratona que decidiu percorrer para aumentar suas forças para ter mais possibilidades de conquistar o mundial de pilotos.

Na Itália, Michel também treina num ritmo muito acelerado, onde envolvia uma dieta rigorosa, corrida na esteira e muita musculação. Ele usava tudo que a tecnologia poderia lhe oferecer.

Seu supervisor técnico Jan Tody olha para Michel muito orgulhoso de seus grandes esforços. Além de todo treinamento Michel ainda ajuda os mecânicos e projetores do carro, no desenvolvimento, tornando os carros mais velozes ainda, em relação aos seus concorrentes.

Apreciando o trabalho de Schumacher, Tody diz em seu intimo:

— Hahhh sem dúvida Michel e o Danilo estão treinando muito. Nesses anos que trabalho com automobilismo nunca vi pilotos tão dedicados. Mas todo esse treinamento é necessário! É exigido muito dos pilotos em uma corrida! Embora não sejam super-homens, precisam ser um. Os músculos dos braços são muito exigidos devido o “peso” que a velocidade exerce no volante. As batidas podem causar lesões em suas colunas. E o pescoço deles, então?! Nem se fala!! Todo o peso que as forças da física que o sobrevém, nas curvas, na aceleração e na freiagem é algo fora do comum!! Sem contar com os kilos que perdem nas corridas devido o calor e o reflexo apurado que é necessário....tudo isso faz a pessoa tornar-se um grande piloto de carro.

Formula 1 - As Crônicas de Um Piloto - Danilo Santos - by ThaniaDe volta à áfrica, Danilo está muito exausto, faz quase 5 dias que ele percorre o deserto. O forte calor e pouco consumo de água e comida está lhe causando desidratação. Entretanto, no fim do horizonte ele parece ver algo. Ele uma pequena cidade e é para lá que ele vai a velocidade bem reduzida em relação do ritmo em que começou. Ele contava com um GPS, para se localizar.

No entanto, era por volta das 16h, ele estava correndo bem mais lentamente, quando ele avista bem próximo dele, uma imensa tempestade de areia. A “parede” de areia que ele vê, desaparece no horizonte de tão gigantesca. Ela se aproximava numa velocidade impressionante!

Danilo tenta correr o mais rápido possível para longe dela, mas ele está muito cansado, não consegue “fugir” dela. Ele tenta correr mais rápido ainda, está nos seus limites, porém os ventos estavam fortes demais e impetuosamente a tempestade o alcança. Ele corre desesperadamente, todo seu equipamento fica pelo caminho e logo é engolido pela tempestade!! Ele desesperadamente grita:

— NÃO PODE SSEEEERRRR!!!!

Por fim, ela o “engole” também. Ele desaparece no meio da areia.

Duas horas depois, a tempestade cessou. Será se mesmo assim ele não resistiu a esta força da natureza? No meio do nada, derrepente, surge alguns movimentos de uma grande duna de areia. Sim! Ele se levanta! Milagrosamente, Danilo sobreviveu a aquela terrível tempestade! Mas agora ele está perdido e muito fraco. Sua pele já estava muito queimada devido ao sol. Estava desidratado e para piorar: Engoliu muita areia!

Sem equipamento nenhum, ele passa a vagar pelo deserto sem rumo. Não tem mais energias para correr e assim ele anda com muita dificuldade. Suas roupas estão estragadas e ele muito machucado.

Já é quase noitinha, ele avista algo semelhante a uma cidade. Será uma miragem? Sem saber, ele caminha em direção a ela finalmente entra na pequena cidade. Para seu alívio, não era uma miragem! Quando ele entra e olha ao seu redor, vê ela toda destruída. O vento sopra, o céu está meio que cinza meio que esverdeado devido o pó, mas ele continua andando, não encontra nenhuma alma nas ruas, mas ele continua a andar observando a calamidade que sobreveio a essa cidade.

— Socorro!! Por favor me ajudem!!! – Uma voz desesperada Danilo houve. Ao ouvir o pedido, ele consegue reunir o resto de energia que tem e vai correndo em direção a essa voz.

Ele encontra um velho senhor em apuros. Um homem parece que está tentando roubar o idoso. Sem perder tempo Danilo numa super velocidade o ataca, o homem desconhecido é lançado a metros de distância, mas apenas teve pequenos ferimentos, inclusive o tal saiu correndo de medo.

Danilo ajuda o senhor se levantar, o idoso olha em seus olhos e diz:

— Meu jovem! Muito obrigado!

Muito fraco, com um sorriso no rosto, Danilo responde:

— Hahah o senhor não precisa agrade..... – Antes de completar a frase ele desmaia de cansaço.

No dia seguinte, com ainda uma visão turva ele vê que está deitado numa cama dentro de uma casa e diz um tanto que assustado e ainda uma voz fraca de sono:

— Onde estou! Isso não parece o deserto!

Aparece então um jovem rapaz, que se aproxima demais de Danilo. Ele se assustando, dá um grito:

— AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH QUEM É VOCÊ?!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

— AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!.... grita o rapaz também!

Ele se levanta e bate a cabeça dele na do rapaz.

Em seguida alguém diz:

— Calma, calma! Você desmaiou e o meu marido o trouxe para cá! – Disse calmamente uma bondosa senhora.

— Seu marido??? A senhora está falando de um senhor que estava sendo assaltado na rua??

— Sim! — - (Respondeu ela a pergunta de Danilo.)

— Mas espera aí vocês falam minha língua??? Que estranho!! – (Disse o jovem piloto surpreso).

Nesse meio tempo alguém bate na porta na casa daquela família e antes de abri-la, violentamente homens fardados a arrombam e invadem a casa agarram o senhor (que Danilo acabara de ajudar) e o leva para um quartel general. Ninguém pôde fazer nada. O único que tinha forças para isso, ficou imóvel só olhando para o fato, sem saber direito o que está acontecendo!

Alguns minutos depois...

— Na verdade – (Disse a senhora): - Esses homens não estavam assaltando meu marido, nós devemos uma grande quantia de dinheiro e eles sempre nos ameaçam, nos agredindo!

O jovem rapaz, filho da senhora, então se apresenta com o nome chamado Gin e continua contando:

— Há alguns anos nossa cidade era um bom lugar para se viver. Mas a guerra por grupos rivais querendo o poder da cidade foi se inflamando e violentas batalhas começaram a ser travadas nas ruas e avenidas....

A senhora continua falando e Danilo prestando atenção atentamente:

— Muitos de nossos parentes inocentes morreram. Até que um dos grupos se saiu vitorioso, esse grupo vitorioso era chamado de Militares vermelhos. Parecia que haveria uma paz relativa mas eles tratavam o povo com tirania e torturava quem não aceitasse sua autoridade...

Gin ainda continua:

— Esperança Azul, foi o nome dado por um pequeno grupo de parentes enlutados que queriam vingança e assim uma nova guerra começou. Esse pequeno grupo foi crescendo e mais e mais simpatizante entravam no campo de batalha. Alguns países vizinhos os ajudaram lhe dando munições e armas e esse novo grupo lutou por 10 anos contra os Militares Vermelhos e por fim conquistaram a vitória.

Um outro rapaz que se chama João aparece na cena e continua a história:

— Todos acreditavam que a paz de nossa cidade seria trazida pelo grupo. Mas não foi isso que aconteceu! Logo tomaram posse de um grande poço de petróleo, os lideres ficaram ricos e seu armamento ficou fortemente poderoso. Torturavam e executavam pessoas inocentes simplesmente porque atrasava o pagamento dos altos impostos, colocados por eles mesmos, ou quando a família não tinha o dinheiro suficiente para pagar. Até mesmo queimava as casas das famílias. Tornaram-se muito mais cruéis!!! que os Militares Vermelhos.

— O exército nacional entrou em ação para combater os guerrilheiros até mesmo com ajuda das nações vizinhas, mas foram todos derrotados. Agora nos abandonaram não temos mais ajuda de ninguém. Todos eles nos tratam como lixo desprezível – Completa João.

Danilo está num ambiente muito “pesado”. A cidade, devido a guerra, está como que abandonada de tão destruída. Será se há uma esperança para o fim do sofrimento deste povo?

(Continua no próximo episódio...)

Gostou da histórinha? Compartilhe agora com os amigos: